O que significa “em detrimento de”?

O termo “em detrimento de” é bem bonito né? 🙂

Parece sonoro.

Mas veja aqui neste trecho de um aluno concurseiro do meu curso virtual um uso incorreto dele:

… os relacionamentos são vistos em termos de sua utilidade e em conformidade com os interesses de cada um, desvalorizando as amizades em detrimento de mero coleguismo.”

Percebeu?

“Em detrimento de” significa “Em prejuízo de”, ou “Em desvantagem de”, ou ainda “Em desfavor de”. Quer dizer, depois desse termo vem o lado que sai perdendo na história, entende?

Portanto o trecho acima deveria ser assim:

… os relacionamentos são vistos em termos de sua utilidade e em conformidade com os interesses de cada um, desvalorizando as amizades em favor de mero coleguismo.”

______________________________

Você acha que o tema deve vir na introdução?

E parênteses? Pode usar na redação?

 

Anúncios

Introduções muito parecidas…

Lembram aquele meu post sobre aquela redação 1000 do Enem que “era bem parecida” com outra redação de ano anterior?

Pois bem… meu aluno descobriu que a introdução da tal redação também é “bem parecida” com uma redação feita por um site educacional, conhecido!

Vou colar aqui a introdução da redação que está no site educacional, é esta aqui:

Abrindo as cortinas

         Brás Cubas, o defunto-autor de Machado de Assis, diz em suas “Memórias Póstumas” que não teve filhos e não transmitiu a nenhuma criatura o legado de nossa miséria. Talvez hoje ele percebesse acertada sua decisão: a postura de empresários e anunciantes em relação à publicidade para crianças é uma das faces mais perversas de uma sociedade que se despe de valores éticos em nome do estímulo ao consumo. Reverter esse quadro sem ferir a liberdade de expressão – eis a missão de um país que se diz democrático.

 

Agora… veja a introdução da redação 1000 de 2016 do Enem:

Orgulho Machadiano

             Brás Cubas, o defunto-autor de Machado de Assis, diz em suas “Memórias Póstumas” que não teve filhos e não transmitiu a nenhuma criatura o legado da nossa miséria. Talvez hoje ele percebesse acertada sua decisão: a postura de muitos brasileiros frente a intolerância religiosa é uma das faces mais perversas de uma sociedade em desenvolvimento. Com isso, surge a problemática do preconceito religioso que persiste intrinsecamente ligado à realidade do país, seja pela insuficiência de leis, seja pela lenta mudança de mentalidade social.

 

E aí? O que acha? Parecido?

 

 

O Guia do Estudante já decifrou o caso por trás desse mistério…

 

Este ebook é pra quem está no zero de redação

E este áudio é para quem não consegue começar a redação