“Como escrever tudo que quero em 30 linhas?!”

Tenho alunos que reclamam de não conseguir pôr tudo que querem na redação de 30 linhas. Vou mostrar agora pra você como dá para você escrever mais do que está escrevendo, no mesmo espaço! Acompanhe-me!

Esta redação é de uma aluna vestibulanda de medicina que está iniciando o curso virtual:

 

            A dinâmica do mercado de trabalho está intimamente relacionada aos valores sociais que ditam qual o papel do homem e da mulher. Como resultado, muitas profissões são classificadas como “masculinas” ou “femininas” – mitos construídos pelos estereótipos sociais.

           Desde cedo, muitos foram criados em um ambiente que não garantiu o desenvolvimento pleno de seu potencial, sendo apenas expostos a estereótipos de gênero que são pré-determinados pela sociedade. Essa generalização é um obstáculo para que a criança possa descobrir e desenvolver suas aptidões, levando em consideração os defeitos e as qualidades. Um exemplo disso é retratado no filme “Billy Elliot” que mostra os preconceitos enfrentados por um jovem que deseja de se tornar dançarino de balé.

             A imposição de expectativas sociais favoreceu a criação do mito em que determinadas profissões fossem consideradas masculinas e outras, femininas. No entanto, os avanços sociais com o intuito de combater o machismo permitiram que mulheres e homens pudessem ter maior liberdade para escolher seus empregos. Por exemplo, atualmente é possível ver mais mulheres trabalhando na construção civil e mais homens atuando como enfermeiros.

           A classificação de profissões como “masculinas” ou “femininas” é mito criado a partir de expectativas sociais. Todavia, o mercado de trabalho gradativamente está se tornando mais diverso, possibilitando a desconstrução desse mito.

 

Ela tem 21 linhas digitadas, como você pôde ver. À mão ela já tem quase 30 linhas. Agora vou resumi-la sem afetar o que a aluna queria dizer, com o intuito de ganhar mais linhas para argumentar mais:

          A dinâmica do mercado de trabalho está intimamente relacionada aos valores sociais que ditam qual o papel do homem e da mulher. Como resultado, muitas profissões são vistas classificadas como “masculinas” ou “femininas” – mitos construídos por pelos estereótipos sociais.

          Desde cedo, muitos foram criados em um ambiente que não garantiu o desenvolvimento pleno de seu potencial, sendo apenas expostos a estereótipos de gênero que são pré-determinados pela sociedade. Essa generalização é um obstáculo para que a criança descubra e desenvolva possa descobrir e desenvolver suas aptidões, considerando levando em consideração os defeitos e as qualidades. Um exemplo disso é retratado no filme “Billy Elliot” que mostra os preconceitos enfrentados por um jovem que deseja de se tornar dançarino de balé bailarino.

           A imposição de expectativas sociais criou favoreceu a criação do o mito de em que determinadas profissões fossem consideradas masculinas e outras, femininas. No entanto, os avanços sociais com o intuito de combater e o combate ao machismo permitiram que mulheres e homens pudessem ter maior liberdade para escolher seus empregos. Por exemplo, atualmente é possível ver mais mulheres trabalhando na construção civil e mais homens atuando como enfermeiros.

            A classificação de profissões como “masculinas” ou “femininas” são mitos criados a partir de expectativas sociais. Todavia, o mercado de trabalho gradativamente está se tornando mais diverso, possibilitando a desconstrução desconstruindo desse mito.

 

Eu mostrei no texto resumido as modificações que fiz, para você perceber, mas já posso te dizer que, eliminando os trechos que eu mantive e que estão riscados, ele ficou com 17 linhas digitadas! Quer dizer, ganhei 3 linhas para mais argumentação, ou detalhamento!

Isso faz uma diferença enorme! 3 linhas digitadas são um pouquinho mais à mão – imagine! Praticamente um parágrafo a mais! E não perdi nada da ideia!

Para conseguir isso eu simplesmente disse o mesmo com menos palavras!

O quê? Você aprendeu que precisa usar palavras rebuscadas, ser prolixo, pra ganhar mais pontinhos?! Xiii…. não… lamento mas te enganaram…: a redação dissertativa precisa ser objetiva (e não “enrolativa”), direta ao ponto.

É uma habilidade de resumir. Parece fácil, mas os alunos aprendem tão ao contrário que eu estou vendo que eles não conseguem perceber onde dá para resumir! Precisa de treino – treine!

___________________________________

Garanta o inglês para sua prova!

E o senso comum, ein, como resolve?

 

 

Anúncios

Não precisa dar sua opinião de verdade!

Um ex-aluno meu me disse:

“Muitas vezes eu ficava muito tempo ‘preso’ pensando se eu acreditava ou não naquilo”

Ele estava  se referindo à tese! Nunca aconteceu com você de escrever uma tese e depois se perguntar se era aquela mesmo sua opinião?

O fato é que você pode dar sua opinião verdadeira na tese, claro! Mas também pode dar uma opinião que não é a sua verdadeira! Pode sim! O  importante é pensar qual opinião seria mais prática de ser argumentada no meio do texto!

Pense: você terá 30 linhas para se explicar… e o corretor nunca saberá se sua opinião é aquela mesmo ou se você está mentindo! Então vá pelo caminho mais prático pra você.

Se você é a favor da pena de morte mas acha que é mais fácil argumentar contra ela, argumente contra ela! Você só está querendo ter sua redação bem avaliada, e seu corretor só está querendo verificar seu nível de clareza e correção da escrita.

 

______________________________

Pode inventar exemplo?

Crase é tão difícil né?! 😦