“O que você me indicaria ler?”

Recebi essa pergunta da internauta paulistana Barbara, que me pediu sugestões para ler… ela está focando o próximo Enem. E também queria melhorar a fala. Para melhorar a fala, precisa-se ler textos de qualidade, e lamentavelmente hoje temos uma enxurrada sem nenhuma qualidade na internet, além daqueles vendidos em forma de livros :p  ….

Por sorte ela gosta de ler!

Vou aproveitar e mostrar aqui um caminho possível para começar a ler e melhorar.

1. Vá a uma biblioteca na sua cidade. Se você está na cidade de São  Paulo, pode verificar aqui  qual está perto de você. Claro que você pode comprar livros, mas lembre-se de que os livros da biblioteca da sua cidade foi você mesmo quem pagou… Não se preocupe se você não está em São Paulo, porque qualquer biblioteca pequena tem crônicas!

2. Peça ajuda à bibliotecária para saber onde estão as crônicas. Comece com crônicas que você vai gostar! 😉 . Crônicas são textos curtos (ufff), geralmente bem humorados, mas sempre sobre coisas da nossa vida de hoje. Acho que uma boa sugestão seria o Fernando Sabino… eu também gosto do Rubem Braga… mas isso é só sugestão, tem outros muito legais! Uns são mais piadistas, outros pensam mais sobre os comportamentos humanos… cada um do seu jeito.

3. Não gostou do livro? Largue e pegue outro. Eu também largo o livro quando não gosto.

 

Pronto!

Depois de se acostumar a ler, talvez você queira ler outros tipos de texto. Comente aqui embaixo pra eu saber se está dando certo e tal…

Sobre a fala, ela é reflexo das pessoas com quem você convive, e do tipo de leitura que você faz. Então observe se seus amigos ou familiares falam errado e policie-se para não copiá-los. Mantenha-se lendo os textos que estou sugerindo, porque eles vão melhorando sua fala aos poucos – é aos poucos mesmo, paciência. Com o tempo você poderá falar com as pessoas que estão ao seu redor usando uma linguagem bem melhor. Pode ser que eles também comecem a falar “melhor”…

 

Você não tem medo da redação da Fuvest, né?

Cursos de redação longos são coisa do passado…

Anúncios

Esta aluna achava que escrevia baboseiras

Veja o relato da Caroline, que foi minha aluna no curso presencial, com aulas semanais de 45 minutos. Antes ela tinha a sensação de que só escrevia baboseiras:

“Lembro da minha primeira aula com a Margarete. Eu estava toda nervosa ainda mais porque eu achava que eu escrevia super mal e minhas redações eram horríveis. Aí eu ficava pensando: “Cara! Que vergonha! Ela, que provavelmente escreve muito bem, vai ler meus textos! Aposto que vão ter muitas críticas e que ela vai detestar minhas redações!”. Okay, eu realmente não escrevia bem ainda. Eu lembro que eu era muito dramática e chegava a escrever muitas coisas desnecessárias. Fora que eu estava com a cabeça muito fechada, com muitas regras que o cursinho passava. Com o curso da Margarete eu expandi meus pensamentos e acabei vendo a redação com outros olhos. Ficou mais fácil de redigir textos! A minha escrita passou a fluir muito melhor! Antes eu ficava pensando que era uma coisa impossível e lembro também que eu tinha muita dificuldade em escrever a primeira linha da redação. Eu estava travada. Não saía nenhuma ideia legal. Depois de algumas aulas, comecei a melhorar muito. Nem eu estava acreditando. E sabe o que é mais legal de ter aula com a Margarete? É que ela não vai ficar brava com você por você ter escrito uma baboseira. Ela não vai te julgar caso você tenha falado alguma besteira. Sempre vai te ajudar com a maior paciência e simpatia. Conforme as aulas vão passando você acaba conversando com ela não como sendo uma professora, mas sim uma amiga.

O curso da Margarete não somente me ajudou nas redações dos vestibulares, mas me fez perceber como eu realmente gosto de escrever (coisa que eu não fazia nem ideia). E é muito legal ver como evoluí em questão de seleção de palavras, de expansão de vocabulário, de coesão e de organização das ideias. E tudo isso foi de maneira natural, sem pressões, sem cobranças. Se você ainda não sabe que professor particular de redação escolher, saiba que a Margarete é uma excelente professora e que você aprenderá muito com ela!! Não irá se arrepender!”

A Caroline passou no vestibular para Arquitetura na Unesp, em 2018, com nota 8,1 na redação!  Ela nunca escreveu baboseiras, mas a escola e o cursinho a fizeram acreditar nisso…  Suas redações, hoje, estão sendo lidas por meus atuais alunos dos cursos, como redações exemplares! E ela gostou tanto de escrever que criou a página Uma Gordice de Cada Vez  😀

 

Já pensou sua redação virar redação exemplar no meu curso?! 

E que escreve pouquinho, tem cura?