Redação do colégio X redação do vestibular

Minha aluna Fernanda, vestibulanda, começou meu curso agora em fevereiro. Ela sempre foi uma ótima aluna no colégio e ela é  mesmo muito aplicada. Mas… ficou claramente decepcionada e à beira das lágrimas quando viu as primeiras notas que sua redação recebeu em meu curso!

E isso é bem comum, por isso vou explicar…

Um aluno que sempre foi bem na redação do colégio não necessariamente continuará indo bem em redações para o nível de vestibular. Há várias razões para isso…

Primeiro, o colégio tem seus objetivos no ensino de redação, e isso é lá com ele. O objetivo de “passar no vestibular” pode não ser sempre o objetivo primeiro, porque afinal de contas a gente não aprende a escrever SÓ para vestibular.

Segundo, no colégio você está num estágio cognitivo que talvez não seja o mesmo de sua véspera de vestibular… sua “cabeça” é outra, e isso não significa que você seja “burro”, nada disso. Todo mundo evolui desse jeito, e também quem está na fase do vestibular pós-colégio um dia vai perceber que esse estágio cognitivo não era o definitivo – a gente evolui sempre! Por isso as notas do colégio levam em consideração um estágio em que você estava, não se aplica mais ao estágio atual.

Terceiro, no colégio você não estava concorrendo com ninguém, mas o vestibular, especialmente das públicas, é bem concorrido, e isso exige mais de você, não tem como ser de outra forma…

Quarto, no colégio geralmente não se tem o fator “tempo” para escrever a redação. Quem já passou pelo vestibular sabe que uma coisa é escrever bem a redação do colégio e outra coisa é escrever bem a redação em uma horinha! E sob tensão! Muita gente – muita mesmo – escreve bem mas não consegue escrever dentro do tempo de prova!

 

No geral, a realidade do colégio não é a do pré-vestibular, por isso as notas de redação de quem está se preparando para o vestibular podem ser mais baixas que as do colégio. E isso é que deixa os alunos que acabaram de sair do ensino médio assustados… às vezes apavorados! Já tive aluno chorando por aqui! 😮 Alunos que acreditaram que aquela nota do colégio indicava uma ótima nota de redação no vestibular são os que mais se apavoram!

No meu caso específico, porque o aluno pré-vestibulando tem pressa, eu tenho um processo que leva o aluno a “errar” propositalmente. Eu provoco erros, eu forço o aluno a errar! Isso é importante porque ele precisa errar comigo! E quanto mais errar melhor! Assim ele não vai errar na hora H! Entende? Aqui também simulamos o tempo de prova, que é fun-da-men-tal!

Para mim, como professora, não há nenhuma vantagem em agraciar o aluno com notas altas para que ele fique feliz e tenha autoestima suficiente para a prova! Não! Essa não é a minha função! Aliás, não é a função de nenhum professor de redação! Para mim o bom é simular todos os cenários possíveis para que ele se saia bem em qualquer deles. Dói no começo tirar nota baixa na redação, mas o que importa é a nota da prova do vestibular, concorda?

Quando um aluno que tirava sempre 8 – como a Fernanda – de repente tira 4 na redação… ah… ele fica assustado mesmo… Mas não é nada preocupante, é parte do processo. A nota média de quem começa meu curso é 3,5. Ao contrário, você pode desconfiar se suas notas são sempre altas no curso de redação…

 

Esta promoção é útil pro seu bolso?

Enquanto você acha que curso pela internet é meia boca…

 

Anúncios

Um erro que está virando moda…

Um outro erro de português que jamais deveria ter saído das escolas, mas que está ficando comum… como uma moda!

Veja esta frase:

“Muitas familias estão enfrentando, pela a falta de empregos, salários aviltantes”.

Ela estava num artigo de jornal na internet.

Descobriu o erro?

Não existe “pela a”! E também não existe “pelo o”!

 

Não existe!

A frase correta seria

“Muitas familias estão enfrentando, pela falta de empregos, salários aviltantes”.

 

Olha lá ein… atenção aí na escrita!

 

Será que você usa senso comum em sua redação?