O dilema da repetição de palavras (ó Deus!)

Eu já falei algo sobre o assunto, mas o fato é que a doutrinação escolar comanda a cabeça do aluno.

Hoje escutei de uma aluna minha o seguinte: a professora dela no colégio, aqui em São Paulo, ensinava que depois de escrever a redação, e antes de passar  à caneta, dever-se-ia contar quantas vezes cada palavra foi usada, sublinhando-as. E em seguida… substituí-las por um sinônimo. Bem… sobre isso eu já falei também.

Imagina um escritor nessa vida de contar palavras e substituí-las.

Mas eu vim aqui hoje para lembrar vocês  que existem sim repetições desnecessárias. Essas vocês percebem fácil ao ler em voz alta. E para essas há formas elegantes de evitar a repetição!

 

Veja esta frase e como eu eliminei a repetição:

😦 “Companhia telefônica é condenada a indenizar usuária. O nome da usuária foi inscrito indevidamente em cadastro de inadimplentes.”

:)”Companhia telefônica é condenada a indenizar usuária cujo nome foi inscrito indevidamente em cadastro de inadimplentes.”

É… pronome relativo serve para isso, procure saber mais sobre ele!

 

 

Agora veja esta:

“Veja este novo bilhete escolar. Você pode carregar seu bilhete escolar nas lotéricas”

“Veja este novo bilhete escolar. Você pode carregá-lo nas lotéricas”

É… pronomes oblíquos servem para evitar repetições… não ficou elegante?

(Ou você acha melhor escrever assim: “Veja este novo bilhete escolar. Você pode carregar seu passe nas lotéricas” ;p ?)

 

Mudando de assunto, esta promoção aqui não te agrada?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s