Posso pôr dados falsos na redação?

Um aluno vestibulando do Enem fez uma pergunta muito boa num grupo do facebook! Ela serve também para concurseiros:

“Se na elaboração da minha redação eu criar um dado falso ou citação falsa só para embasar o meu argumento eu estaria perdendo pontos ? Caso a resposta for sim, e se esses dados/citações estiverem errados acidentalmente?

 

O que eu tenho notado na minha experiência é que nenhum aluno inventa dados ou citações deliberadamente. Aliás, inventar um dado ou citação é bem trabalhoso, não valeria a pena :D.

Então é algo que corretores certamente nem lembram de ter visto. Se a autenticidade desses detalhes todos – nomes, datas, fontes etc etc – fosse importante, o tempo para a correção das redações obviamente teria de ser muito maior, concorda? Levariam muitos meses para liberarem as notas… Porque cada corretor precisaria fazer pesquisas na internet ou em livros, ou ainda perguntar para especialistas em outras áreas, para  confirmar essa autenticidade, toda vez que vissem um dado! Já imaginou isso?! Impraticável. Sabemos que os corretores têm  minutos para ler sua redação.

 

Agora, a segunda pergunta corresponde a uma realidade que eu sempre vejo! Casos em que os dados não são inventados, mas podem não ser exatos, involuntariamente.

Pense comigo: normalmente os dados em si só servem para apoiar sua opinião e sua argumentação, eles não são o foco do seu texto! Você não vai escrever a redação para mostrar um dado, ou uma citação, não é?

Se, por exemplo, você andou lendo, não sabe onde, sobre o número de brasileiros abaixo da linha de pobreza, e arrisca que são 12%, quando na verdade são 18%, isso não vai criar qualquer problema para você, até porque a gravidade do fato continua  existindo, sejam “só” 12%, sejam 18%. Ninguém estaria esperando que um aluno de ensino médio tivesse esses dados exatos em mente. Acho que nem o professor teria… você pode dizer abertamente que não lembra: “aproximadamente 12%” estaria mais que suficiente! Não seria assim que você falaria? Então… a escrita vem da fala, bobagem negar.

Uma dica: se você não lembra se a citação é do Pessoa ou do Drummond, tudo bem, só escreva assim “frase daquele poeta”, e está tudo bem. É uma forma muito usada em crônicas (se você lê crônicas você sabe).

Além do mais, seu corretor será um professor de português, não um mestre em Ciências Sociais que leu tudo que existe sobre o assunto. De novo: o centro da sua redação é sua opinião e sua argumentação. Você pode também observar que nenhuma prova de redação que temos no país tem o critério “autenticidade dos fatos citados”. Meus alunos sempre encontram dados “duvidosos” em redações boas da Fuvest.

 

Há também algo mais a ser dito: os dados e citações que o vestibulando vai incluir na redação são normalmente de conhecimento comum dos professores. Quando leio as redações dos meus alunos, leio muitos exemplos de casos que eu me lembro de ter visto na tv ou lido, então eu não preciso verificar se o aluno citou direitinho números ou nomes, aí já seria demais… eu estou interessada no que ele acha do fato e eu SEI que ele está falando de algo verdadeiro!

No meu curso eu ensino o aluno e aproveitar ao máximo tudo que ele lembra de um caso – ele não precisa lembrar de todos os dados para escrever, olha que maravilha!

 

Muitos alunos meus às vezes querem citar um certo caso do qual você deve se lembrar – aquela jovem paulistana, Suzane Von Richthofen, que matou os pais junto com o namorado e o irmão dele. Lembra? Ela foi presa.

Pois é, como eu iria exigir que eles se lembrassem do nome dela, um nome alemão!?

E vejam só este trecho de uma aluna minha que leu uma entrevista mas não lembrava onde:

 

“Indivíduos bem-humorados também tendem a ter mais amigos – quem não gosta de ter por perto uma pessoa animada ou engraçada? – e ser mais bem aceitos quando vão a um local desconhecido, além de terem mais facilidade para encontrar um parceiro. “Ser engraçado ou “me fazer rir” são frases mais que citadas pelas mulheres quando questionadas sobre as características mais desejadas em um homem, segundo pesquisas.

 

O fato de ela não lembrar da fonte afetou o argumento? Não… não afetou em nada. Você entendeu direitinho e “se bobear” você já andou lendo pesquisas  assim em revistas femininas… ou teria alguma necessidade de saber em qual revista estava essa pesquisa?!

***

Expressão coloquial é fácil reconhecer… esta você conhece...

E o “lhe”? Você  não está usando errado não?

Promoção rolando, você tá sabendo?

 

 

 

Anúncios

2 respostas em “Posso pôr dados falsos na redação?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s