Quem lê muito escreve bem. É mesmo?

Eu era uma professora que também achava que se alguém quisesse escrever bem teria de ler MUITO. Montanhas!

Então eu comecei a encontrar alguns casos de se pensar…   Tive um aluno em 2004 que só tirava 3 na redação do colégio. Ele vivia sendo convidado a sair da sala. Isso porque ele falava demais, e tumultuava a aula, claro. Ele não lia nem os livros que a escola pedia. Então eu me preparei para o pior…

Entretanto, ele foi um dos alunos mais brilhantes que já tive! Ele falava sobre qualquer assunto, até sobre o que ele só estava conhecendo naquele momento! Ele opinava, pensava, lançava hipóteses, dava seus motivos para pensar daquele jeito, questionava o que eu dizia… se envolvia totalmente! Muitas vezes eu chegava para a aula e ele já vinha recuperando algum assunto da aula passada, de uma semana atrás!

Uma vez ele ficou tão encucado com a  questão crônica da falta de qualidade do ensino no Brasil, que depois da aula foi procurar dados no site do IBGE! Sozinho! EU nunca tinha visitado o site do IBGE! Nem os concurseiros fazem isso! Na aula seguinte ele me mostrou os dados – que eu não conhecia… e tirou conclusões e fez observações sobre os dados pra mim… ou seja, ele leu, sim, o que interessava para ele, e nem foi muito!

Como vocês podem já ter lido em outro  post meus, minhas aulas são baseadas na linguagem oral; pois bem, a aula com ele voava, a discussão era a mais proveitosa possível!

E as redações dele, ah… tinham uma fluência deliciosa, cheia de personalidade, que fazia a gente pensar sobre o assunto ainda mais! Eu pensava “como a professora do colégio não gosta de uma redação assim, tão gostosa?!” Esse aluno ficou de recuperação de redação no último ano, saiu do colégio e… entrou na USP, direto, na primeira lista.

Era um fato na minha frente… o aluno não lia nada e escrevia maravilhosamente bem… como eu podia explicar aquilo?!

 

Depois de ver vários alunos desse tipo cheguei à conclusão de que não existe relação direta entre ler MUITO do que não te interessa realmente, e escrever bem! Ficou chocado? Sim, eu também já tinha notado que muitos dos meus outros alunos que liam “aquela revista semanal” toda semana continuavam com dificuldades para escrever… bloqueados… sem mencionar que era sempre a mesma redação-carimbo, sem personalidade, com cara de redação de cursinho. Está certo que as redações vinham cheias de informações, mas eram redações sem alma! O aluno que me perdoe mas ninguém ia querer ler aquilo 😦  E dissertação argumentativa tem alma! Tem participação do autor, senão não é argumentativa, você sabe! Tudo bem que o Enem quer que você seja impessoal, mas o que vai aparecer lá na folha veio de dentro de você, não tem jeito! Se não tiver você ali no papel, é redação expositiva, não argumentativa…

 

Eu descobri que  todos os meus alunos (100% deles) que escrevem bem são gente que gosta de pensar sobre os fatos, discutir, de ouvir a opinião dos outros, de ir mais a fundo pesquisando sobre o que interessa para eles, de questionar o que todo mundo repete como verdade… e é gente observadora do mundo! Eles veem o que se passa no metrô, na rua, em casa, na família, na escola, analisam fotos de jornais em detalhes… Alguns deles liam bastante, outros não! Os que não liam tanto assim pensavam sobre o que liam, e costumavam ler coisas que lhes interessavam.

A leitura realmente ensina você a escrever corretamente, a ter noção de vários níveis de formalidade (o que é muito importante!), isso é indiscutível, porque seu cérebro vai armazenar infinitas estruturas pra você usar! Mas… o recheio só pode vir de você…

Portanto ler montanhas de revistas ou jornais não vai fazer diferença se você quer escrever mais fácil sua redação, ok? Ler é muito gostoso (sou suspeita pra dizer isso), e faz você evoluir muito, além de ajudar na ortografia e acentuação (não se pode negar isso), mas ler muito só PARA escrever melhor não dá certo como dizem que dá!  A leitura que tem efeito na sua redação é aquela que você faz com prazer, com interesse, com participação pessoal, pensando sobre o que lê, e melhor ainda se quiser ir mais a fundo depois de ler…

No fim das contas foi uma boa notícia para você, não? Você que perdia tanto tempo lendo o que nem lhe interessava… só pra ver se sua redação ficava melhor! Quem PENSA escreve melhor, mesmo sem ler muito! Comece a PENSAR mais no que lê, vê ou ouve! Comece a olhar com mais atenção para as pessoas ao seu redor que estão grudadas no celular… observe! Depois você pode ler alguma coisa que tenha a ver com o que você está pensando, que tal?!

 

ps.: se você é professor de redação ou pai de aluno, lembre-se de valorizar o pensamento dele, para ele ter mais pensamento crítico que você…

 

Demora pra escrever? Eu resolvo isso…

Não tem dinheiro para um curso presencial?  Faça à distância!

 

 

Anúncios

10 respostas em “Quem lê muito escreve bem. É mesmo?

  1. Obrigada por me livrar da culpa de não ter lido mais, nem de ter incentivado a minha filha a ler. Sempre deixei por sua conta seus deveres de escola. Pensar é fundamental! Excelentes palavras! Libertadoras! Sentia-me culpada sempre quando me deparava com alguém que dizia ter lido tantos livros… Meu Deus, eu não li nada, ainda, e já tenho 54 anos! Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    • ahahaha…. legal seu comentário! não imaginava que ajudaria vc a se libertar!! Bem, eu sou uma devoradora de livros de bibliotecas (não de livrarias), mas eu realmente acho que se eu escrevo bem é porque eu penso muito sobre o que leio! Abraços!

      Curtir

    • opa, desculpe toda essa demora pra responder :/ Na verdade eu tinha lido seu comentário quando você o postou, mas não o respondi! Desde aquela época estou te seguindo!
      Mas fico hiper feliz com seu relato! 😀

      Curtir

  2. Parabéns, professora! Eu não podia imaginar que ouviria, ou leria, isso de uma professora… Não se preocupe. Minha afirmação não é irônica. Eu realmente admiro sua coragem de avançar contra o tabu da leitura gulosa. Concordo plenamente e me sinto realmente agradecido por publicar isso. Entendo isso como relativo ao que Freire dizia sobre ler o mundo prioritariamente aos livros… Acredito realmente numa forma de leitura nociva às pessoas, que incham o intestino cerebral de referências e inibem o discurso próprio.. claro que tudo está ligado ao modo.
    Eu edito um blog recente e meus textos, inevitavelmente, conflitam nesse tema. Gostaria muito que vc lesse algo que escreve e me auxiliasse com sua crítica. Gostaria de linkar esta publicação ao blog (Se não for inconveniente); Muito obrigado e, mais uma vez, parabéns.
    Cleofas Bezerra
    blogodorio.com

    Curtido por 1 pessoa

  3. Pingback: Como melhorar seu vocabulário | escrevacertoblog - quebrando o tabu da redação

  4. Pingback: escrevacertoblog - quebrando o tabu da redação

  5. Pingback: blog do curso Escrevacerto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s